Traços recomendados para argamassas (02-2002)

Chama-se traço a proporção em volume entre os componentes das argamassas (usualmente cimento, cal hidratada e areia). Os traços variam de acordo com a utilização que vai ser dada à argamassa. A tabela abaixo apresenta os traços indicados para as utilizações mais comuns das argamassas. (Fonte: "Tabela de Composições de Preços para Orçamentos - TCPO 10" - Editora Pini - 2000).

APLICAÇÕES

 

TRAÇOS

   

Grupo

Subdivisão

Cimento Portland

Cal Hidratada

Areia

Categoria da Areia

Alvenaria de Tijolos Maciços

esp. 1 tijolo - 20 a 22cm

1

1,5

6

grossa comum

 

esp. 1/2 tijolo - 10 a 11cm

1

2

8

grossa lavada

 

esp. 1/4 tijolo - 5 a 6cm (cutelo)

1

2

8

grossa lavada

Alvenaria de Tijolos Laminados (maciços ou 21 furos)

esp. 1 tijolo - 20 a 22cm

1

1

6

grossa lavada

 

esp. 1/2 tijolo - 10 a 11cm

1

1

5

grossa lavada

Alvenaria de Tijolos de 6 Furos

a chato

1

1,5

6

grossa comum

 

a espelho

1

2

8

grossa lavada

Alvenaria de Tijolos de 8 Furos

a chato

1

1,5

6

grossa comum

 

a espelho

1

2

8

grossa lavada

Alvenaria de Blocos de Concreto para Vedação

esp. 20cm

1

0,5

8

grossa lavada

 

esp. 15cm

1

0,5

8

grossa lavada

 

esp. 10cm

1

0,5

6

grossa lavada

Alvenaria de Blocos de Concreto Autoportantes

esp. 20cm

1

0,25 

3

grossa lavada

 

esp. 15cm

1

0,25

3

grossa lavada

Alvenaria de Blocos de Vidro

 

1

0,5

5

média lavada

Alvenaria de Pedras Irregulares

 

1

 

4

grossa comum

Alvenaria de Elementos Vazados de Concreto

esp. 6cm

1

 

3

média lavada

Chapisco

sobre alvenaria

1

 

4

grossa lavada

 

sobre concreto e tetos

1

 

3

grossa lavada

Emboço

interno, base para reboco

 

1

4

média lavada

 

interno, base para cerâmica

1

1,25

5

média lavada

 

interno, para tetos

1

2

9

média lavada

 

externo, base para reboco

1

2

9

média lavada

 

externo, base para cerâmica

1

2

8

média lavada

Reboco

interno, base para pintura

 

1

4

fina lavada

 

externo, base para pintura

 

1

3

fina lavada

 

barra lisa

1

 

1,5

fina lavada

 

interno, para tetos, base para pintura

 

1

2

fina lavada

Assentamento de Revestimentos

interno-cerâmicas

1

1

5

média lavada

 

externo-cerâmicas

1

0,5

5

média lavada

 

peitoris, soleiras e capeamentos

1

 

4

média lavada

Pisos

base regularizadora para cerâmicas

1

 

5

grossa lavada

 

base regularizadora p/ pisos monolíticos

1

 

3

grossa lavada

 

base regularizadora p/ tacos

1

 

4

grossa lavada

 

colocação de cerâmicas

1

0,5

5

média lavada

 

colocação de tacos

1

 

4

média lavada

 

cimentados alisados

1

 

3

fina lavada

Importante:

  • Cimento e areia medidos secos e soltos. Cal hidratada medida em estado pastoso firme.
  • Não se recomenda que as argamassas base para pinturas do tipo epóxi contenham cal, que retarda a cura e diminui sua resistência, podendo a argamassa ser desagregada pelas tensões provocadas pelo processo de polimerização das resinas epóxi. Recomendamos que se consultem os fabricantes das tintas epóxi, para definição dos traços recomendados para as argamassas base para as pinturas deste tipo.
  • Existem diferentes tipos de aditivos químicos que podem ser utilizados nas argamassas, entre eles: impermeabilizantes, adesivos, aceleradores de pega, retardadores de pega, plastificantes, controladores de fissuração, etc. Recomendamos que se consulte o fabricante dos aditivos para definição dos traços das argamassas a serem aditivadas e a especificação e proporção do aditivo a ser utilizado.

 

Produção de argamassas (01-2005) - Texto produzido pela Assessoria do Selo de Qualidade da Associação Brasileira dos Produtores de Cal (ABPC)

Para a produção de argamassas, indicamos os procedimentos abaixo:

  • Para argamassas de uso imediato, os passos para mistura manual são:
    1. Medir primeiro o agregado (areia) e esparramar para formar uma camada de cerca de 12cm de altura;
    2. sobre essa camada de areia colocar os aglomerantes (cal hidratada e cimento);
    3. mexer até formar uma mistura homogênea, depois, amontoar a mistura, abrindo um espaço no meio para adição da água;
    4. adicionar e misturar a água aos poucos, evitando o excesso.
  • Já para mistura mecânica o procedimento é o seguinte:
    1. Ligar a betoneira (ou similar);
    2. colocar o agregado (areia);
    3. adicionar a metade da água;
    4. colocar os aglomerantes (cal hidratada e cimento);
    5. adicionar o resto da água, evitando sempre colocar em excesso;
    6. tempo de mistura: de 3 a 5 minutos.

Se for possível deixar a argamassa em “descanso”, por 16 a 24 horas, pode-se obter maior rendimento, melhor liga e redução das microfissuras, entre outras vantagens. É a chamada argamassa intermediária, em que se misturam a cal hidratada e a areia, sem adicionar o cimento portland. Depois da maturação, coloca-se o cimento no momento da aplicação. (Fonte: Guia das Argamassas nas Construções, da Associação Brasileira dos Produtores de Cal-ABPC).

Clique aqui para imprimir

Volta ao topo da página

Volta ao Menu de Dicas